segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Honda CG 160 substitui a CG 150, a moto mais vendida do Brasil

Modelo ficou mais potente e motor, o mesmo da nova Bros 160, rende 15,1 cavalos.

Publicado no portal G1 em 03/08/2015
A Honda CG 160 será a substituta da CG 150, a moto mais vendida do Brasil, anunciou a fabricante nesta segunda-feira (3). Ainda sem preço definido e data para chegar às lojas, a 9ª geração da CG tem como principal novidade o motor maior, que já havia feito sua estreia na NXR 160 Bros. Também foram realizadas alterações no visual da moto para as duas versões Fan e Titan.
O modelo 2016 da CG recebeu o novo motor de 1 cilindro e 162,7 cc de cilindrada, que trouxe mais potência e torque comparado com a 8ª, que foi apresentada em 2013.
Com injeção eletrônica e sistema flex, o monocilíndrico rende 15,1 cavalos de potência máxima a 8.000 rpm e 1,54 de torque a 6.000 rpm.
Na CG 150, o motor de 1 cilindro e 149,2 cc rende 14,3 cavalos de potência a 8.500 rpm e 1,45 kgfm a 6.500.

Como já fazia o modelo 150, a Honda CG 160 terá como principal rival a Yamaha Fazer 150.
Apesar de manter a identidade do modelo anterior, houveram mudanças nas carenagens frontais, semi-carenagens laterais, defletores e assentos. O tanque também foi alterado, com linhas mais altas na pare superior e a inclusão de uma tampa mais esportiva.
Ainda há diferenciação visual entre a Fan e a Titan, com a segunda recebendo diferenças nos defletores laterais, suporte de placa na rabeta, protetores e ponteiras de escape, além de pedal de freio e pedaleiras.

Ainda sobre o modelo top de linha Titan, este possui pneu traseiro de perfil mais largo e perfil mais baixo. O chassi segue o mesmo da geração anterior, mas recebeu reforço para adotar o novo motor.
Na traseira, possuem amortecedores duplos e mola, com 106 mm. Os freios das duas versões possuem disco dianteiro simples de 240 mm; e tambor traseiro, com 130 mm. O sistema CBS (Combined Brake System) equipa apenas o modelo CG 160 Titan.

A CG 160 Fan 2016 será disponibilizada nas cores vermelha, cinza e preta, enquanto a CG 160 Titan terá opções vermelha, branca e preta. De acordo com a empresa, a garantia é de 3 anos e sem limite de km.

Nosso Comentário: 
Tenho a impressão que a Yamaha não vai deixar barato e vai lançar novos e melhores produtos para concorrer. Diga-se de passagem que o lançamento da nova Bros 160 e agora o modelo Street da mesma cilindrada é uma reção da Honda ás inovações que a Yamaha tem apresentado nos últimos anos. Saldável concorrência.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Marca de acessórios Texx lança capacete Race DV com cores vibrantes

Para ser visto de longe, entre as novas cores nada discretas estão: Lima Neon e Rosa Pink

Fonte: Engenharia de Comunicação
A TEXX, marca de acessórios e vestuário da Laquila, aposta nas tendências do “Color Block” e lança o Capacete Race nas novas cores: Lima Neon e Rosa Pink.
O Color Block é um estilo que mescla cores vibrantes em um mesmo look e está em alta pelo mundo todo. Para os motociclistas, a moda pode estar presente de maneira marcante com toda a linha de Capacetes Race DV da TEXX.
A linha completa apresenta 07 opções de cores, que incluem ao novo look grafismos exclusivos. E tudo isso, sem deixar a segurança de lado. Seu design possui a aerodinâmica perfeita.

O casco é feito em ABS (compacto, anatômico, leve e confortável). O forro é removível, feito em MFI – ou seja: não retém suor ou umidade - com tratamento anti-bactéria e antialérgico. A viseira é Double Vision óculos interno fumê, com proteção UV) e viseira externa de 2,8 mm. É anti-risco e seu sistema de fixação não provoca retenção de ventos ou excesso de ruídos.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Victory (American), Motorcycle larga na frente e lança moto elétrica antes da Harley

Modelo tem motor de 54 cavalos de potência e ultrapassa 160 km/h. Bateria leva quase 4 horas para recarregar completamente.

Publicado no Portal G1 em 29/07/2015
A Victory Motorcycles, fabricante americana de motos, anunciou o lançamento de sua primeira moto elétrica. O modelo Empulse TT chega ao mercado norte-americano antes do modelo movido a energia elétrica da rival Harley-Davidson, ainda em fase de testes no projeto LiveWire. Chamada de Empulse TT, a moto traz tecnologia remanescente dos veículos da Brammo, recentemente adquirida pelo grupo Polaris - dono de Victory e Indian. As vendas começam até o final do ano nos Estados Unidos, com preço base de US$ 19.999.
A Victory não possui operações no Brasil, porém, sua marca "irmã", a Indian, fará a estreia no próximo Salão Duas Rodas.
De acordo com a empresa, a Empulse TT pode rodar nas ruas e ser emplacada. A velocidade máxima pode ultrapassar os 160 km/h e a moto se encaixa nos planos de expansão da marca pelo mundo. "Somos uma empresa que não tem medo de tecnologia e novos produtos. Queremos ser fortes no segmento de motos elétricas", afirmou Steve Menneto, vice-presidente da Victory.

Para recarregar completamente a bateria de íon-lítio, é preciso de 3,9 horas. Sobre a autonomia, a Empulse pode rodar cerca de 105 km em condições normais de uso, deslocamento que pode aumentar para 160 km, em modo de condução moderado e com o auxílio dos freios regenerativos de energia.

O modelo possui modos de pilotagem ECO e Sport, além de contar com câmbio de 6 marchas.
Em modo de funcionamento total, o motor rende 54 cavalos de potência e 8,43 kgfm de torque.

Na dianteira, o moto possui garfo do tipo invertido e, na traseira, monoamortecedor - ambos com regulagens.
Seu sistema de freios é da marca Brembo, composto por disco duplo na dianteira e simples na traseira.
O peso da moto é de 167 kg.

Moto 1000 GP implanta Cup Escola e abre oportunidade de competição a motociclistas

Allan Douglas

Projeto implantado em parceria com a Motors Company abre modalidade de competição em pista acompanhada de noções teóricas e práticas

Fonte: Grelak Comunicação
O GP Campo Grande, que reuniu mais de 21.000 torcedores no último domingo (26) e marcou o encerramento da primeira metade da temporada do Moto 1000 GP, apresentou uma novidade ao público do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. O evento contou com a primeira etapa da Cup Escola, uma competição paralela direcionada a motociclistas habituais que nunca tomaram parte de quaisquer corridas ou campeonatos.
“A Cup Escola cria para os motociclistas a oportunidade de darem uma utilização esportiva às suas motos no mesmo ambiente de uma competição de nível internacional”, resume o organizador do Brasileiro, Gilson Scudeler. O projeto foi implantado em parceria com a Motors Company, do piloto e instrutor Leandro Mello, que coordena as atividades teóricas e de pista ao lado do também piloto Alan Douglas, campeão do Moto 1000 GP em 2011.

“Trata-se de um projeto que há algum tempo nós queríamos implantar, e a parceria com a Motors Company trouxe a condição para a realização da Cup Escola. Fizemos uma prova experimental na etapa anterior, em Goiânia, e a de Campo Grande foi a primeira das cinco válidas da nova modalidade”, explica Scudeler. A Cup Escola levará motociclistas à pista também nas quatro etapas restantes da temporada de 2015 do Brasileiro de Motovelocidade.

A Cup Escola não integra o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. “É uma copa, como o nome sugere, que vai acompanhar o Moto 1000 GP. Os participantes terão à disposição toda a infraestrutura, esquema de segurança e resgate, regras claras, programação de treinos e corrida, a premiação no pódio. Enfim, eles, vão se divertir competindo contra outros motociclistas que têm o mesmo nível de conhecimento e habilidade”, conclui Scudeler.

A primeira corrida da Cup Escola, que integrou a programação do Moto 1000 GP em Campo Grande, teve percurso de 10 voltas, com vitórias de Alex Borges. O pódio da categoria para motos de 1.000 cilindradas contou ainda com Ale Fernandes, Hugo Makitani, Alexandre Muniz e Andrey Leandro, nesta ordem, completando as cinco primeiras posições. Na categoria das 600 cc, os três primeiros foram Fernando Alcazar, Fabrício Correa e Rodrigo Martinelli.

CUP ESCOLA – ETAPA DE CAMPO GRANDE
(Resultado final da primeira corrida do projeto)
1º) Alex Borges, 16min01s252
2º) Ale Fernandes, a 34s944
3º) Hugo Makitani, a 51s882
4º) Alexandre Muniz, a 54s527
5º) Andrey Leandro, a 1min32s419
6º) Fernando Alcazar, a 1 volta
7º) Fabrício Correa, a 1 volta
8º) Rodrigo Martinelli, a 1 volta
Melhor volta: Borges, na 10ª, 1min33s890, média de 131,556 km/h

Quadriciclo 150cc MXF é opção criativa de presente para o Dia dos Pais 2015

A altura indicada para uso é a partir de 1,50m, com faixa etária a partir de 12 anos.

Fonte: Engenharia de Comunicação
Se o seu pai é um aventureiro nato e não abre mão de bons momentos de lazer em família, uma opção criativa e original para este Dia dos Pais é dar de presente o Quadriciclo 150cc da MXF Motors.

O produto, que integra a coleção 2015 de quadriciclos da empresa, apresenta como atrativos força e resistência, que garantem a dirigibilidade para médios e grandes deslocamentos.

O Quadriciclo 150 cilindradas da MXF apresenta motor 4 tempos, 4x2, é monocilíndrico a gasolina e sua potência é de 12 CV. Possui refrigeração a ar, sistema de partida elétrica e pedal, rendimento de 20 Km/litro, e pode chegar a até 70 km por hora.
Mantém quadro tubular em aço de alta resistência, suspensão dianteira em bandejas independentes com amortecedores hidráulicos, suspensão traseira com amortecedor hidráulico regulável, freio dianteiro a tambor, freio traseiro a disco com acionamento hidráulico e aros de 10’. Possui câmbio automático CVT com marcha ré.

A novidade possui porte grande: pesa 165 quilos e mostra-se também como um ótimo utilitário para quem deseja deslocamento com capacidade de carga. Os bagageiros dianteiro e traseiro podem levar juntos até 150 quilos.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Patente BMW i equipa bicicleta elétrica

Produzido na fábrica da HNF Heisenberg, componente inovador desenvolvido pela BMW é destaque do modelo XF1

Fonte: BMW Group PressClub Global
A marca BMW i desenvolve e apresenta ao mundo conceitos visionários de mobilidade, design e uma nova compreensão do segmento premium, com uma clara preocupação com sustentabilidade. Por isso, a BMW i também cumpre a função, dentro do BMW Group, de uma incubadora de inovação que vai muito além dos já conhecidos modelos BMW i3 e BMW i8.
Um dos resultados mais recentes dessa estratégia é a patente de um componente inovador. Trata-se de um braço articulado de unidade de transmissão para veículos de duas rodas, que acaba de entrar em produção na fábrica de bicicletas elétricas HNF Heisenberg. O desenvolvimento foi realizado em colaboração com a divisão de Pesquisa e Tecnologia do BMW Group.

Como não havia um uso imediato para a patente, já que o foco da marca BMW i não está em veículos elétricos de duas rodas, a tecnologia foi disponibilizada para uso externo e equipará o modelo eBike Heisenberg XF1. Um pequeno logotipo aplicado nas bicicletas identifica que o produto conta com uma inovação do BMW Group.

A patente da BMW i para o princípio do braço articulado da unidade de transmissão é um novo tipo de tecnologia de estrutura para eBikes com suspensão total – ou amortecimento na frente e atrás – e um motor centralizado. E isto facilita, pela primeira vez, a integração do motor centralizado, das engrenagens e da correia de transmissão em um módulo inovador de suspensão, dispensando, assim, um tensor de correia.

Triumph apresenta novas versões da Tiger 800 e atinge marca de 10.000 motos montadas em Manaus.

A Fábrica  da Triumph, localizada em Manaus (AM), acaba de atingir a marca de 10.000 motocicletas produzidas em somente 34 meses de operação. 

Fonte: G6 Comunicação
A motocicleta número 10.000 é a nova Tiger 800 XR, modelo de entrada da linha Adventure da marca inglesa, que foi completamente reformulado e começa a ser comercializado em agosto no mercado nacional. A nova linha Tiger 800, cujo lançamento no Brasil aconteceu em abril, está ganhando mais duas versões: Tiger 800 XR e Tiger 800 XC, ambas já em produção em Manaus. Os dois novos modelos devem atingir um volume de vendas de 1.000 unidades até dezembro deste ano e custarão R$ 37.690,00 (Tiger 800 XR) e R$ 40.790,00 (Tiger 800 XC). A linha Tiger 800, incluindo todas as versões, deve responder por 70% das vendas da marca no Brasil.

Como nas versões top de linha XRx e XCx, as novas Tiger 800 ganharam visual diferenciado e mais moderno, menor consumo de combustível, desempenho off-road superior e um pacote sofisticado de itens de tecnologia com foco maior no piloto e na condução da motocicleta. A tecnologia com foco no piloto é um dos principais pontos que diferencia a nova Tiger das concorrentes. A motocicleta incorpora uma tecnologia que foi desenvolvida para melhorar a pilotagem na estrada e no off-road. Nas versões XR e XC, isso inclui uma série de recursos, como o sistema de aceleração eletrônico “Ride by Wire”, freio ABS comutável e controle de tração. O sistema ABS comutável é padrão em todos os modelos da linha Tiger 800 e utiliza a mais avançada tecnologia para prevenir o travamento das rodas, garantindo segurança máxima e controle em todas as condições de terreno. O sistema ABS pode ser ligado ou desligado, de acordo com a necessidade do usuário.

O sistema Triumph de Controle de Tração (TTC) também está presente em todas as versões. Este recurso sofisticado previne o giro inesperado da roda traseira, cortando o torque do motor para evitar a perda de aderência lateral, proporcionando máximo controle tanto na estrada como em terrenos off-road. O piloto pode selecionar a sua configuração de TTC para “ligado” ou “desligado”. As novas Tiger 800 XR e XC também vêm equipadas, de série, com computador de bordo que fornece ao piloto informações como tempo de viagem, velocidade média, autonomia e consumo instantâneo de combustível.

O tradicional motor Triumph de três cilindros, com 95 cv de potência, proporciona à motocicleta uma personalidade única e sofisticada. Internamente, os aperfeiçoamentos reduziram ruídos e melhoraram o desempenho. Assim, a nova Tiger 800 conta com um motor extremamente eficiente que fornece força contínua e suave em baixas velocidades, proporciona uma ampla potência na faixa intermediária de rotações e ainda permite ao piloto utilizar a faixa alta de potência, até o limite de 10.000 rpm. Tirar o máximo da personalidade agressiva do motor se tornou mais fácil graças ao mecanismo mais leve e preciso de troca de marchas, que utiliza peças da superesportiva Daytona 675, líder mundial no seu segmento. O consumo de combustível também foi consideravelmente reduzido – em até 17% em um trajeto de “uso misto”, aumentando a autonomia do modelo nas viagens.

Assim como as versões top de linha, as novas Tiger 800 XR e XC ganharam visual diferenciado que inclui nova proteção para o radiador e linhas mais ousadas do painel lateral do tanque de combustível. O novo design deu à moto um estilo mais arrojado e dinâmico. Além de estéticas, algumas mudanças cumprem outras funções. O novo design do tanque, por exemplo, também proporciona uma canalização do ar quente do motor para longe das pernas do piloto.

Além da altura do banco ajustável e do posicionamento do guidão, as novas versões vêm com um tanque grande para a categoria, com capacidade para 19 litros, ajuste rápido de altura para o farol para viagens a dois, tomada elétrica auxiliar próxima à ignição e protetor de cárter – tudo de série. As duas versões serão comercializadas no mercado brasileiro em duas opções de cores: branco (Crystal White) e preto (Phantom Black).

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Casal aventureiro vai percorrer 18 mil quilômetros de moto

Guga Dias e Elda Silveira

Guga e Elda pretendem conhecer 50 vulcões na Cordilheira dos Andes

Fonte: Engenharia de Comunicação
Apaixonados por moto turismo, o casal Guga Dias e Elda Silveira partirão para sua maior aventura sobre duas rodas. Serão 18 mil quilômetros a fim de conhecer de perto 50 vulcões na Cordilheira dos Andes.

A viagem está programa para início de agosto e terá duração dois meses. O percurso cruza a Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e norte do Chile, e prevê, além das rodovias, muita estrada de chão.
Guga e Elda planejam fotografar e filmar esses gigantes, nem sempre adormecidos. Em alguns vulcões as imagens serão registradas de perto, a cerca de 6.000 metros de altitude. “Não somos esportistas natos, então estamos nos preparando física e mentalmente para resistir ao esforço de escalar vulcões em elevadas altitudes, onde o mínimo passo leva facilmente a exaustão” – ressalta Elda, garupa, fotógrafa e responsável pelo making off do documentário que o casal pretende lançar quando voltarem para casa.
Diariamente serão postados relatos, fotos e vídeos desta aventura no site Diário de Motocicleta, mantido pelo casal e patrocinado pelos Equipamentos TEXX – marca de acessórios e vestuário da Laquila.