domingo, 3 de maio de 2015

Moto 1000 GP: Lussiana supera Praia e vence primeira etapa do Brasileiro de Motovelocidade

Matthieu Lussiana, segundo da esquerda para a direita

Campeão do Moto 1000 GP, francês supera dores da costela fraturada e abre a temporada no topo do pódio do GP Petrobras em Curitiba

Fonte: Grelak Comunicação.
O francês Matthieu Lussiana conquistou na tarde deste domingo (3), no Autódromo Internacional de Curitiba, sua sexta vitória na GP 1000, principal categoria do Moto 1000 GP. Dono do título de 2014, o piloto da BMW Motorrad Petronas Racing saiu-se melhor do duelo com o português Miguel Praia foi o primeiro colocado no GP Petrobras, primeira das oito etapas do calendário do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.
Praia, piloto da Honda da Center Moto Racing Team, terminou a corrida em segundo. O pódio teve também o argentino Sebastian Porto, companheiro de equipe de Lussiana, em terceiro. Esta foi a segunda vez que a GP 1000 teve pilotos de cinco países nas cinco primeiras posições – o brasileiro Wesley Gutierrez, da Motonil Motors-PDV Brasil, e o italiano Sebastiano Zerbo, da Target Race Superbike Team, ambos de Kawasaki, foram quarto e quinto.

Dada a largada, Praia tomou a primeira posição do pole argentino Diego Pierluigi, que caiu para o oitavo lugar com a Kawasaki da JC Racing Team. O português manteve-se à frente até a sétima volta, quando foi ultrapassado por Lussiana. Praia chegou a retomar a liderança na penúltima das 18 voltas, mas foi novamente superado pelo campeão brasileiro do ano passado na reta dos boxes, na abertura da última volta do GP Petrobras.

Lussiana reconheceu a forte pressão que sofreu de Praia. “Ele veio todo o tempo muito perto, e eu não sabia onde estava mais rápido, mas sabia que o risco de perder a liderança era real, principalmente na última volta”, considerou o piloto da BMW Motorrad Petronas Racing. “Preferi deixar que ele passasse na penúltima volta para poder analisar onde ele era mais rápido que eu, porque sabia que tinha a chance de recuperar a posição na última volta”.

Foi justamente na pista de Curitiba que Lussiana conquistou, em 2012, sua primeira vitória no Moto 1000 GP – foi a corrida que marcou sua estreia na competição. Em 2014, na campanha que lhe rendeu o título do Brasileiro de Motovelocidade, ele conquistou quatro primeiros lugares. Neste domingo ele correu resistindo às dores decorrentes da fratura que sofreu em uma costela oito dias antes, na Holanda, durante o Mundial de Superstock.

Praia ressaltou o desenvolvimento da Honda. “Hoje eu tinha um melhor conjunto. O motor não era tão eficiente quanto o do Matthieu, mas a ciclística da minha moto era melhor, resultado de um trabalho de duas temporadas. Só que ele se defendeu muito bem e eu não consegui aproveitar como queria. Tentei induzi-lo ao erro, mas ele foi preciso”, resumiu. “O bom é sentir que agora tenho equipamento para disputar realmente a vitória”.

GP PETROBRAS – GP 1000 – CURITIBA
(Resultado final da primeira etapa após 18 voltas)
1º) Matthieu Lussiana (FRA/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, GP 1000, 24min42s956
2º) Miguel Praia (POR/Center Moto Racing Team), Honda, GP 1000, a 0s100
3º) Sebastian Porto (ARG/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, GP 1000, a 0s559
4º) Wesley Gutierrez (PR/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, GP 1000, a 2s545
5º) Sebastiano Zerbo (ITA/Target Race Superbike Team), Kawasaki, GP 1000, a 3s270
6º) Danilo Lewis (SP/Tecfil Racing Team), Kawasaki, GP 1000, a 8s574
7º) Marco Solorza (ARG/Solorza Competición), Kawasaki, GP 1000, a 25s379
8º) Martin Solorza (ARG/Solorza Competición), Kawasaki, GP 1000, a 25s429
9º) Diego Pretel (SP/DRT), Ducati, GP 1000 Evo, a 27s724
10º) Diego Pierluigi (ARG/JC Racing Team), Kawasaki, GP 1000, a 32s121
11º) Victor Moura (PR/M2B Racing), BMW, GP 1000 Evo, a 49s684
12º) Ian Testa (DF/Don Racing Team), Ducati, GP 1000 Evo, a 50s296
13º) Luís Fittipaldi (DF/JC Racing Team), Kawasaki, GP 1000 Evo, a 1min10s708
14º) André Paiato (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), BMW GP 1000 Evo, a 1 volta
15º) Marcos Salles (PR/MS Racing Team), Honda, GP 1000 Evo, a 1 volta
16º) Nick Iatauro (SP/Team Suzuki PRT), Suzuki, GP 1000 Evo, a 2 voltas
Melhor volta: Lussiana, na 3ª, 1min21s132, média de 163,955 km/h

Moto 1000 GP: Eric Granado estreia com vitória e GP 600 tem três marcas no pódio‏

Eric Granado, ao centro

Piloto de 18 anos leva Honda à vitória e torna-se único vencedor do GP Petrobras a atingir pontuação máxima em Curitiba

Fonte: Grelak Comunicação.
Eric Granado estreou com vitória neste domingo (3) na categoria GP 600 do Moto 1000 GP. O piloto paulista de 18 anos, que nesta temporada concilia o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade com a atuação no Europeu de Moto 2, confirmou seu favoritismo e conquistou a primeira posição no GP Petrobras. A primeira das oito corridas do calendário nacional aconteceu no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR).
Depois de liderar todas as sessões de treinos livres da etapa, Granado estabeleceu recorde da pista para treinos e conquistou a pole position. Dada a largada, foi ultrapassado por Juan Solorza, vencedor da etapa em 2014, que largou em segundo com a Yamaha da Solorza Competición. Seu revide sobre o argentino aconteceu na segunda volta – no mesmo momento, o paranaense Joelsu “Mitiko” Silva assumiu a segunda posição.

Granado, inscrito pela GST Honda Mobil Super Moto, começou a abrir vantagem a volta a volta. Mitiko, piloto da Kawasaki da Paulinho Superbikes, defendia-se da pressão que recebia de Solorza. O argentino reassumiu a vice-liderança da corrida na abertura da penúltima volta, para mantê-la até o fim da corrida. Após as 16 voltas, Granado contabilizava vantagem de 15 segundos. Ele definiu a corrida como “bem complicada”.

“A gente ainda tem que acertar alguns detalhes”, falou o vencedor. “Eu não me senti confortável com os pneus novos, a moto tinha uma vibração ruim na frente. Nas últimas voltas eu tinha uma vantagem e precisei tomar cuidado para controlar a distância”, narrou. “O Moto 1000 GP tem um nível que está crescendo cada vez mais”, observou o paulista, que marcou todos os pontos possíveis – os da vitória, o da pole e o da volta mais rápida da corrida.

Solorza também manifestou ter enfrentado uma corrida de dificuldades. “Eu tinha pouca aderência no pneu traseiro, isso não me permitiu manter um ritmo homogêneo durante toda a corrida”, comentou o argentino. “Larguei bem e consegui a liderança na primeira volta. Depois o Granado me passou e perdi também o segundo lugar, aí tive de manter o ritmo e a concentração para me recuperar e conseguir esse segundo lugar”, continuou.

Silva, terceiro colocado, destacou o alto nível que Granado impôs ao GP Petrobras. “O Eric teve um ritmo muito forte. No nós começo até conseguimos acompanhar. Depois a briga era para segurar o segundo lugar, mas o Solorza tinha um ritmo mais rápido”, reconheceu. “De qualquer forma, começar o ano no pódio é muito bom”. A segunda etapa do Brasileiro de Motovelocidade será disputada em Cascavel, também no Paraná, no dia 31 de maio.

GP PETROBRAS – GP 600 – CURITIBA
(Resultado final da primeira etapa após 16 voltas)
1º) Eric Granado (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, GP 600, 22min22s237
2º) Juan Solorza (ARG/Solorza Competición), Yamaha, GP 600, a 15s021
3º) Joelsu da Silva (PR/Paulinho Superbikes), Kawasaki, GP 600, a 15s747
4º) Ademilson Peixer (PR/RF Racing), Kawasaki, GP 600, a 1min01s860
5º) Alex Pires (RJ/Center Moto Racing Team), Honda, GP 600, a 1min13s423
6º) Sérgio Laurentys (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, GP 600, a 1min23s875
7º) Marciano Santin (RS/Santin Racing), Honda, GP 600 Evo, a 1min24s438
8º) Flávio Pavanelli (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, GP 600 Evo, a 1 volta
9º) Marcelo Dias (BA/2MT-PRT), Honda, GP 600 Evo, a 1 volta
10º) Thiago Fonseca (PE/2MT-PRT), Yamaha, GP 600 Evo, a 1 volta
11º) Breno Pinto (AP/2MT-PRT), Yamaha GP 600 Evo, a 1 volta
12º) Sérgio Prates (SP/JC Racing Team), Kawasaki, GP 600 Evo, a 1 volta
13º) Júlio Fortunato (SP/Sport Plus Racing), Kawasaki, GP 600 Evo, a 1 volta
Melhor volta: Granado, na 4ª, 1min22s783, média de 160,685 km/h

Moto 1000 GP: Ton Kawakami comemora no GP Petrobras a primeira vitória na GPR 250‏

Ton  Kawakami, moto número 6

Piloto paulista da Playstation-PRT celebra resultado inédito em seu fim de semana mais positivo no Brasileiro de Motovelocidade

Fonte: Grelak Comunicação
Uma corrida com mais de 20 trocas de posição na liderança e em que os sete primeiros colocados ocuparam a primeira posição em algum momento. A primeira etapa do Moto 1000 GP em 2015 manteve a principal característica da categoria de formação de pilotos GPR 250. O GP Petrobras, disputado neste domingo (3) no Autódromo Internacional de Curitiba, marcou a primeira vitória de Ton Kawakami no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.
Mais rápido nos treinos livres e classificatórios, Kawakami completou na liderança sete das 12 voltas que compuseram a etapa curitibana. Inscrito pela Playstation-PRT, ele dividiu o pódio com o gaúcho Giovandro Tonini, da Santin Racing, e com seu irmão caçula e companheiro de equipe Meikon Kawakami, atual campeão brasileiro – que foi declarado segundo colocado poucas horas depois, diante da desclassificação de Tonini pelos comissários técnicos.

“Meu ritmo estava muito bom na última volta”, destacou o vencedor. “Eu olhei para trás e vi que estava um pouco distanciado. Confiei em mim, acelerei e consegui essa primeira vitória”. Meikon Kawakami lutou pela vitória até o fim – ele terminou o GP Petrobras a um décimo de segundo de Ton. “Infelizmente não consegui, mas fico feliz pelo meu irmão e por estarmos nós dois no pódio”, declarou, ainda antes da divulgação do resultado final.

Tonini, que cruzou a linha de chegada na segundo posição, chegou a participar da premiação no pódio. Contudo, perdeu os pontos e o resultado por conta da análise feita pelos comissários técnicos, que apontou irregularidades no combustível de sua moto. O paulista Rafael Traldi, da Motonil Motors-PDV Brasil, que terminou a corrida em quarto, herdou seu terceiro lugar. A segunda etapa do Moto 1000 GP acontecerá em Cascasvel (PR), no dia 31 de maio.

GP PETROBRAS – GPR 250 – CURITIBA
(Resultado final da primeira etapa após 12 voltas)
1º) Ton Kawakami (SP/Playstation-PRT), Honda, 20min54s859
2º) Meikon Kawakami (SP/Playstation-PRT), Honda, a 0s121
3º) Rafael Traldi (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, a 0s909
4º) Guilherme Brito (SP/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, a 0s945
5º) Brian David (GO/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, a 1s271
6º) José Duarte (CE/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, a 1s303
7º) Hebert Pereira (RS/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, a 19s913
8º) Gustavo Gil (SP/Tecfil Racing Team), Kawasaki, a 31s102
9º) Felipe Gonçalves (PR/Paulinho Superbikes), Honda, a 1min07s563
10º) Jonathan Esquivel (ARG/Grinjets), Kawasaki, a 1min08s069
11º) Diogo Nascimento (SP/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, a 1min08s330
Melhor volta: Duarte, na 12ª, 1min42s510, média de 129,763 km/h

Moto 1000 GP: "em casa", Rafa Nunes conquista primeira vitória da Suzuki na GP Light‏

Rafael Nunes, de macacão, ao centro

Suzuki, Kawasaki e Ducati abrem o Brasileiro de Motovelocidade com as três primeiras posições no GP Petrobras em Curitiba

Fonte: Grelak Comunicação
Largando da pole position e liderando de ponta a ponta, Rafael Nunes comemorou neste domingo (3), no Autódromo Internacional de Curitiba, sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade da categoria GP Light. O piloto curitibano dominou o GP Petrobras em sua primeira participação pelo Team Suzuki PRT e abriu como líder a disputa pelo título nacional de 2015 do Moto 1000 GP. Foi a primeira vitória da Suzuki na GP Light.
Em nova mostra do equilíbrio técnico proporcionado pelo regulamento do Moto 1000 GP, o pódio da categoria GP Light em Curitiba acolheu pilotos de três marcas de motocicletas. A segunda posição foi do catarinense Jean Vieira, com a Kawasaki da curitibana MS Racing Team. O paulista Ricardo Levy, com a Ducati da DRT, repetiu seu melhor resultado na categoria – o terceiro lugar que havia conquistado na segunda etapa de 2014.

“Foi muito bom. A gente conseguiu largar bem, manteve um bom ritmo de corrida e deu para chegar no fim em primeiro. Esse foi um início de parceria fantástico com a equipe do Pitico”, definiu Nunes, citando o chefe de equipe José Carlos de Moraes, que foi ao pódio do GP Petrobras para receber o troféu destinado à equipe vencedora da equipe. “Ganhar uma corrida em casa, com a torcida aplaudindo na arquibancada, não tem preço”.

Vieira, segundo na prova, também havia ocupado o segundo lugar no grid. Ele teve de empreender uma corrida de recuperação. “Tive um problema na segunda volta e perdi ritmo para evitar uma queda. Nisso, caí para o quinto lugar”, citou. “No fim consegui atingir o objetivo, que era pelo menos recuperar a posição de largada. Minha briga com o Levy foi emocionante, a ponto de nós dois chegarmos a errar no mesmo momento”, destacou.

Para Levy, a etapa foi de superação. “Tivemos um começo bem difícil, como é difícil o começo para todo mundo. Nós chegamos com as motos muito cruas para o campeonato e conseguimos um superavanço. A equipe trabalhou sem parar desde quinta-feira, esses meninos fizeram acontecer”, agradeceu, citando os integrantes da DRT. “O nosso objetivo era o pódio e acabou dando certo logo na primeira etapa. Estou feliz para caramba”.

GP PETROBRAS – GP LIGHT – CURITIBA
(Resultado final da primeira etapa após 16 voltas)
1º) Rafael Nunes (PR/Team Suzuki PRT), Suzuki, 22min33s067
2º) Jean Vieira (SC/MS Racing Team), Kawasaki, a 3s492
3º) Ricardo Levy (SP/DRT), DRT-Ducati, a 10s973
4º) Diogo Ramos (SC/SBK Moto Racing), Kawasaki, a 16s988
5º) Marcelo Dahmer (RS/K Racing), Honda, a 22s286
6º) Henrique Castro (DF/City Service BSB Motor Racing), Kawasaki, a 22s660
7º) Fabiano Hazan (SC/Bruxo Race Team), Kawasaki, a 22s940
8º) Ricardo Negretto (SP/Tecfil Racing Team), Kawasaki, a 25s160
9º) Maurício Paludete (SP/Sport Plus Racing), BMW, a 30s047
10º) Edson Luiz (SC/2MT-PRT), Kawasaki, a 55s336
11º) Marcos Prata (BA/Target Race Superbike Tam), Kawasaki, a 58s227
12º) Erlon Franco (MS/Target Race Superbike Team), Kawasaki, a 1min09s227
13º) Pedro Lins (RJ/Center Moto Racing Team), Honda, a 1min17s694
14º) Luciano Donato (SP/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, a 1min29s600
15º) Márcio Pereira (SC/MS Racing Team), BMW, a 1 volta
16º) Pablo Nunes (SC/SBK Moto Racing), Kawasaki, a 1 volta
17º) Iberson Thiago (SP/Tecfil Racing Team), Yamaha, a 7 voltas
18º) Wellison Rocha (SP/Target Race Superbike Team), Kawasaki, a 14
19º) Pedro Assumpção (SP/Motonil Motors), BMW, a 16 voltas
Melhor volta: Ramos, na 3ª, 1min29s391, média de 159,514 km/h

Moto 1000 GP: equilíbrio técnico marca warm up do GP Petrobras em Curitiba‏

Eric Granado

Pilotos de marcas diferentes ocupam as primeiras posições da GP 1000 no treino de aquecimento no autódromo de Curitiba

Fonte: Grelak Comunicação.
O warm up do GP Petrobras, último contato dos pilotos do Moto 1000 GP com a pista do Autódromo Internacional de Curitiba antes da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, tornou a evidenciar o equilíbrio técnico entre as marcas de motocicletas que compõem o grid. A principal série da competição apresentou quatro marcas de motocicletas preenchendo as quatro primeiras posições no resultado do treino de aquecimento.
A GP 1000 teve o campeão Matthieu Lussiana como mais rápido. O francês da BMW Motorrad Petronas Racing obteve 0s776 de vantagem sobre o argentino Luciano Ribodino, do Team Suzuki PRT. Piloto da Kawasaki da Target Race Superbike Team, o italiano Sebastiano Zerbo foi o terceiro. O quarto foi Miguel Praia, português da Center Moto Racing Team, piloto de uma Honda. Na classe Evo, o mais rápido foi Diego Pretel, com a Ducati da DRT.

Eric Granado, que estreia no Campeonato Brasileiro, manteve no warm up sua hegemonia no GP Petrobras. O paulista de 18 anos, inscrito pela GST Honda Mobil Super Moto, vai largar da pole da corrida deste domingo. O argentino Juan Solorza, segundo no grid, foi o segundo também no treino de aquecimento, com a Yamaha da Solorza Competición. O terceiro mais rápido foi o paranaense Ademilson Peixer, com a Kawasaki da RF Racing.

Rafael Nunes, o pole position da GP Light, foi também o mais rápido no warm up. O paranaense do Team Suzuki PRT fechou o treino com exatos três décimos de segundo sobre o gaúcho Marcelo Dahmer, o segundo mais rápido, que vai largar em terceiro com a Honda da K Racing. Também com Honda, o carioca Pedro Lins, piloto da Center Moto Racing Team, ficou em terceiro, logo à frente da Ducati do paulista Ricardo Levy, da DRT.

O primeiro treino do dia foi o da série de formação de pilotos GPR 250. Os irmãos Ton e Meikon Kawakami, companheiros de equipe na Playstation-PRT, que vão alinhar suas motos Honda nas duas primeiras posições no grid, foram os mais rápidos da manhã. As três posições seguintes no resultado do warm up foram preenchidas por pilotos do Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros – Brian David, Guilherme Brito e José Duarte, pela ordem.

A primeira corrida da programação do GP Petrobras será a da GPR 250, com largada às 9h50 para 12 voltas pelo traçado de 3.695 metros do circuito paranaense. Em seguida irão à pista os pilotos da GP Light, para as 16 voltas que terão início às 10h40. A corrida das categorias GP 600 e GP 600 Evo vai começar às 11h40, também com 16 voltas. A largada para a GP 1000 e a GP 1000 Evo, com 18 voltas de percurso, será dada às 12h30.

As quatro corridas do GP Petrobras terão transmissão ao vivo pelo site moto1000gp.com.br. A Band Internacional, os canais Bandsports e Esporte Interativo e o portal de internet Terra transmitirão a etapa a partir das 11h30, com a íntegra da GP 600/GP 600 Evo e da GP 1000/GP 1000 Evo, além de VTs compactos da GPR 250 e da GP Light. Todo o pacote de transmissão das corridas tem geração de imagens da paranaense Master/CATVE.

WARM UP – GP PETROBRAS – CURITIBA
(Melhores voltas nos treinos de aquecimento)
GP 1000/GP 1000 EVO
1º) Matthieu Lussiana (FRA/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, 1min21s987
2º) Luciano Ribodino (ARG/Team Suzuki PRT), Suzuki, 1min22s763
3º) Sebastiano Zerbo (ITA/Target Race Superbike Team), Kawasaki, 1min22s815
4º) Miguel Praia (POR/Center Moto Racing Team), Honda, 1min23s044
5º) Diego Pierluigi (ARG/JC Racing Team), Kawasaki, 1min23s964
6º) Philippe Thiriet (MG/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, 1min24s420
7º) Marco Solorza (ARG/Solorza Competición), Kawasaki, 1min24s827
8º) Wesley Gutierrez (PR/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, 1min24s998
9º) Diego Pretel (SP/DRT), Ducati, Evo, 1min25s313
10º) Ian Testa (DF/Don Racing Team), Ducati, Evo, 1min25s601
11º) Danilo Lewis (SP/Tecfil Racing Team), Kawasaki, 1min25s726
12º) Victor Moura (PR/M2B Racing), BMW, Evo, 1min26s386
13º) Luís Fittipaldi (DF/JC Racing Team), Kawasaki, Evo, 1min28s339
14º) Martin Solorza (ARG/Solorza Competición), Kawasaki, 1min29s587
15º) Sebastian Porto (POR/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, 1min32s237
16º) Marcos Salles (PR/MS Racing Team), Honda, Evo, 1min38s388
17º) Nick Iatauro (SP/Team Suzuki PRT), Suzuki, Evo, sem tempo
Média do 1º: 162,245 km/h

GP 600/GP 600 EVO
1º) Eric Granado (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, 1min23s175
2º) Juan Solorza (ARG/Solorza Competición), Yamaha, 1min24s451
3º) Ademilson Peixer (PR/RF Racing), Kawasaki, 1min26s547
4º) Sérgio Laurentys (SP/GST Honda Mobil Super Moto), Honda, 1min27s073
5º) Joelsu da Silva (PR/Paulinho Superbikes), Kawasaki, 1min27s413
6º) Marciano Santin (RS/Santin Racing), Honda, Evo, 1min27s653
7º) Alex Pires (RJ/Center Moto Racing Team), Honda, 1min29s542
8º) Davi Costa (SP/JC Racing Team), Kawasaki, 1min29s891
9º) Júlio Fortunato (SP/Sport Plus Racing), Kawasaki, Evo, 1min29s948
10º) Marcos Fortunato (SP/Sport Plus Racing), Kawasaki, Evo, 1min31s503
11º) Sérgio Prates (SP/JC Racing Team), Kawasaki, Evo, 1min31s773
12º) Marcelo Dias (BA/2MT-PRT), Honda, Evo, 1min32s946
13º) Flávio Pavanelli (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, Evo, 1min33s092
14º) Breno Pinto (AP/2MT-PRT), Yamaha, Evo, 1min33s569
15º) Marcus Trota (SP/Paschoalin Road & Track), 1min36s595
Média do 1º: 159,927 km/h

GP LIGHT
1º) Rafael Nunes (PR/Team Suzuki PRT), Suzuki, 1min23s666
2º) Marcelo Dahmer (RS/K Racing), Honda, 1min24s966
3º) Pedro Lins (RJ/Center Moto Racing Team), Honda, 1min26s243
4º) Ricardo Levy (SP/DRT), Ducati, 1min27s637
5º) Diogo Ramos (SC/SBK Moto Racing), Kawasaki, 1min28s247
6º) Wellison Rocha (SP/Target Race Superbike Team), Kawasaki, 1min28s641
7º) Márcio Pereira (SC/MS Racing Team), BMW, 1min28s678
8º) Marcos Prata (BA/Target Race Superbike Tam), Kawasaki, 1min29s007
9º) Maurício Paludete (SP/Sport Plus Racing), BMW, 1min29s060
10º) Erlon Franco (MS/Target Race Superbike Team), Kawasaki, 1min30s070
11º) Edson Luiz (SC/2MT-PRT), Kawasaki, 1min31s011
12º) Pablo Nunes (SC/SBK Moto Racing), Kawasaki, 1min31s599
13º) Fabiano Hazan (SC/Bruxo Race Team), Kawasaki, 1min34s265
14º) Luciano Donato (SP/BMW Motorrad Petronas Racing), BMW, 1min35s355
15º) Iberson Thiago (SP/Tecfil Racing Team), Yamaha, 1min38s915
16º) Jean Vieira (SC/MS Racing Team), Kawasaki, 1min54s874
Média do 1º: 158,989 km/h

GPR 250
1º) Ton Kawakami (SP/Playstation-PRT), Honda, 1min43s289
2º) Meikon Kawakami (SP/Playstation-PRT), Honda, 1min43s859
3º) Brian David (GO/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, 1min44s558
4º) Guilherme Brito (SP/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, 1min44s894
5º) José Duarte (CE/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, 1min44s914
6º) Rafael Traldi (SP/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, 1min45s311
7º) Hebert Pereira (RS/Motonil Motors-PDV Brasil), Kawasaki, 1min46s487
8º) Gustavo Gil (SP/Tecfil Racing Team), Kawasaki, 1min46s612
9º) Jonathan Esquivel (ARG/Grinjets), Kawasaki, 1min49s978
10º) Diogo Nascimento (SP/Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros), Honda, 1min52s105
11º) Felipe Gonçalves (PR/Paulinho Superbikes), Honda, 1min55s849
12º) Giovandro Tonini (RS/Santin Racing), Honda, 1min58s921
Média do 1º: 128,784 km/h

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Moto 1000 GP: temporada começa com sétima edição do GP Curitiba‏

Autódramo de Curitba

Mais de 80 pilotos vão disputar neste domingo corridas da primeira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade

Fonte: Grelak Comunicação.
O Moto 1000 GP dará início neste domingo (3) à quinta temporada de sua história. A primeira etapa colocará em disputa o GP Curitiba, com cerca de 85 pilotos de todo o país disputando a vitória as quatro categorias que integram o Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – GP 1000, GP 600, GP Light e GPR 250. Esta será a sétima edição do evento no Autódromo Internacional de Curitiba, localizado na cidade de Pinhais.
Em 2011, ano de rodadas duplas, Curitiba recebeu o penúltimo evento do calendário. A categoria GP 1000 teve vitórias de Marco Brunheroto e Diego Faustino – como Brunheroto correu na condição de piloto convidado, os pontos do primeiro lugar foram atribuídos a Alan Douglas, que terminou em segundo e seria o campeão da temporada. Na categoria GP Light, as duas provas tiveram vitórias de Everton Felizardo e Eduardo Costa Neto.

Em 2012 foram dois eventos na pista de Curitiba. Um deles na segunda etapa, com vitórias de Alex Barros na GP 1000, Renato Andreghetto na GP Light e André Veríssimo na GP 600. Curitiba voltou à cena com rodada dupla fechando o campeonato. Adrian Silveira venceu as duas corridas da GP 600. Nick Iatauro e Lucas Barros revezaram o primeiro lugar na GP Light. Pela GP 1000 as vitórias foram de Matthieu Lussiana e Alan Douglas.

A temporada de 2013 foi a primeira da homologação do Moto 1000 GP como Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Curitiba recebeu as corridas da segunda etapa. Luciano Ribodino comemorou a vitória na GP 1000 e seu companheiro de equipe André Luiz Paiato triunfou na GP Light. Pela GP 600, o vencedor foi Rafael Bertagnolli. Novidade daquele ano, a série de formação de pilotos GPR 250 registrou o primeiro lugar de Sabrina Paiuta.

A etapa curitibana do Brasileiro de Motovelocidade do ano passado foi a sexta e antepenúltima do calendário. Wesley Gutierrez foi ao topo do pódio da GP 1000. Os outros vencedores foram Lucas Braga Teodoro, pela GP Light, Juan Solorza, na GP 600, e Brian David, na GPR 250. As corridas de domingo vão consolidar, pela primeira vez em cinco temporadas de história, uma etapa de abertura de campeonato do Moto 1000 GP no circuito paranaense.

O Moto 1000 GP estabeleceu recordes para o traçado de 3.695 metros do autódromo de Curitiba em 2014. Coube ao francês Matthieu Lussiana a volta mais rápida da história em treino livre, 1min19s866, a 166,553 km/h de média. O recorde oficial para treinos foi assinalado pelo argentino Diego Pierluigi, que obteve a pole em 1min20s082, a 166,104 km/h. O recorde oficial, auferido em corrida, foi de Lussiana, 1min20s431, a 165,383 km/h de média.

terça-feira, 28 de abril de 2015

Escuderia X conquista três pódios no GP Ibirité

    Jetro, Miguel, Rodrigo e Léo Souza (esq. para dir.)

Jetro Salazar foi segundo na Superfinal e terceiro na bateria da MX1, enquanto Léo Souza ficou com o quarto lugar na Junior

Fonte: X Motos do Brasil
A Escuderia X encerrou sua participação no Grande Prêmio Ibirité com a conquista de três pódios. O GP foi disputado neste fim de semana, 25 e 26 de abril, válido pela segunda etapa da Copa Minas Gerais de Motocross.
Jetro Salazar garantiu a terceira colocação na bateria da MX1 e esteve muito perto da vitória na bateria da Superfinal, cruzando a linha de chegada em segundo lugar, somente 2 segundos atrás do campeão, Jean Ramos. O terceiro pódio foi conquistado por Léo Souza na categoria Junior, no sábado.

“Foi muito valiosa nossa participação nesta etapa da Copa Minas para sabermos o que precisamos aperfeiçoar até a abertura do Brasileiro de Motocross”, afirma Cale Neto, chefe de equipe da Escuderia X.

Miguel Cordovez, na MX1, conquistou o 13º lugar na Superfinal e foi o sexto colocado na bateria da MX1. Na classe MX2, Rodrigo Lama ficou com a sexta posição, e Léo Souza foi o décimo colocado. Na MX3, Ricardo Franzini terminou em nono lugar, enquanto Duda Parise abandonou a prova após uma sequência de quedas.

A Escuderia X volta às pistas em maio, para disputar da primeira etapa do Brasileiro de Motocross em Limeira, São Paulo, dias 16 e 17, e para a segunda etapa do Arena Cross, em Jundiaí, também em São Paulo, no dia 23.

Resultados:
Superfinal
1) Jean Ramos
2) Jetro Salazar | Escuderia X
3) Antonio Balbi Junior
4) Hector Assunção
5) Gustavo Pessoal
13) Miguel Cordovez | Escuderia X

MX1
1) Jean Ramos
2) Antonio Balbi Junior
3) Jetro Salazar | Escuderia X
4) Paulo Alberto
5) Adam Chatfield
6) Miguel Cordovez | Escuderia X

MX2
1) Hector Assunção
2) Dudu Lima
3) Gustavo Pessoa
4) Caio Lopes
5) Enzo Lopes
6) Rodrigo Lama | Escuderia X
10) Léo Souza | Escuderia X

MX3
1) Mariana Balbi
2) Wolney Ferreira
3) Paulo Stedile
4) Walter Tardin
5) Vagner Lachi
9) Ricardo Franzini | Escuderia X

Junior
1) Gustavo Pessoa
2) Pepê Bueno
3) Enzo Lopes
4) Léo Souza | Escuderia X
5) Frederico Spagnol

BMW Motorrad inicia parceria global com Alpinestars para criar linha exclusiva de jaquetas

A BMW Motorrad e a Alpinestars anunciam parceria exclusiva para a inovação de equipamentos de segurança para motociclistas. 

Fonte: BMW Group PressClub Brazil
O primeiro produto a ser lançado sob esta cooperação será uma jaqueta BMW Motorrad, assinada por ambos os fabricantes, que apresenta um colete dotado de airbag, o qual foi desenvolvido usando a tecnologia da Alpinestars. A nova jaqueta estará disponível tanto nas versões masculina como feminina, e sua apresentação ao público será realizada ainda neste ano.
O colete com airbag se baseia no Tech-Air™ da Alpinestars, o primeiro sistema urbano de airbags autossuficientes, que funcionam de forma independente, sem a necessidade de que sensores sejam instalados na motocicleta ou de adequar uma motocicleta específica ao sistema de airbag utilizado pelo motociclista. Isto significa que o colete com airbag oferece a liberdade de se conduzir qualquer motocicleta sobre qualquer piso em todos os momentos, e pode ser usado com qualquer tipo de motocicleta ou maxi-scooter BMW Motorrad, permitindo que o piloto troque facilmente de motocicleta sem precisar reconfigurar ou reinicializar os ajustes pessoais. 
Portanto, o sistema encontra-se imediatamente pronto para o uso, e nenhum tempo é gasto com ajustes na compatibilização eletrônica entre o motociclista e/ou passageiro e a motocicleta.

Esta jaqueta BMW Motorrad/Alpinestars e o colete com airbag oferecem uma proteção abrangente para a parte superior do corpo, incluindo os ombros, costas e dorso frontal. Incorporando os seus sensores próximos ao corpo do motociclista, o sistema de airbag é ativado sem necessidade de se acionar sinais sem fio a serem enviados pela motocicleta.

A Alpinestars vem inovando a tecnologia para a proteção do motociclista, desempenho e conforto há mais de 50 anos. O sistema de airbag Tech-Air™, que forma a base de sua cooperação de segurança ativa com a BMW Motorrad, é o resultado da pesquisa e desenvolvimento intensivos da Alpinestars, que teve início em 2001.